Cabotagem de contêineres cresceu 16% no 1º semestre

Danilo Oliveira  NAVEGAÇÃO 

O transporte de contêineres por cabotagem cresceu cerca de 16% no primeiro semestre, em comparação com o mesmo período de 2018. De acordo com a Agência Nacional de Transportes Aquaviários, as empresas de navegação transportaram 14,6 milhões de toneladas nessa modalidade, contra 12,6 milhões de toneladas nos seis primeiros meses do ano passado. Em relação aos seis primeiros meses de 2010, o incremento desse tipo de carga transportada nesse modal é da ordem de 180%. O balanço feito pela Antaq indica que 49% desses equipamentos têm São Paulo como origem ou destino e que o transporte entre o estado e o Amazonas representa 11% da cabotagem. Em números gerais, a cabotagem nacional totalizou 113 milhões de toneladas no primeiro semestre, mantendo-se estável frente ao mesmo período de 2018 e com crescimento de 33% em relação aos seis primeiros meses de 2010.

De janeiro a junho de 2019, a cabotagem representou 22% do mercado brasileiro de navegação, ante 72% do longo curso e 6% da navegação interior. O levantamento aponta ainda que 63% do volume transportado pela cabotagem em águas brasileiras no período corresponde a granéis líquidos e gasosos, sendo 82% por terminais privados e 18% por portos públicos. Outros 18% são referentes a granéis sólidos, dos quais 93% foram movimentados em terminais privados. O modal também movimentou 13% de carga conteinerizada (62% por portos públicos) e 6% de carga geral (81% via instalações privadas).

Considerando as principais cargas movimentadas no primeiro semestre, a cabotagem teve participação de 66,4% da movimentação total de petróleo e derivados, 26,6% das operações de contêineres e 5,1% nas de minério de ferro. Nesse período, a participação da cabotagem nos cinco maiores terminais e portos que operam contêineres no Brasil atingiu 21% em Rio Grande (RS), 18% em Santos (SP) e também em Itapoá (SC), 14% em Paranaguá e 8% na Portonave (SC). Esses portos movimentaram 3 milhões de TEUs, 61% do total movimentado no país.

A navegação de longo curso no Brasil totalizou 365,2 milhões de toneladas movimentadas no primeiro semestre, registrando queda de 5,16% na comparação com igual período de 2018. Já a movimentação de cargas por navegação interior atingiu 33 milhões de toneladas. De acordo com Antaq, o resultado representa crescimentos de 9,3% na movimentação total, 11,76% na movimentação de granéis sólidos, 5,23% de granéis líquidos, 2,93% (+5,23%), carga geral (+2,93%) e contêineres (+5,36%).

Fale conosco!

Tem alguma pergunta? nos envie uma mensagem.