Caminhoneiros estão sem estrutura para trabalhar, alerta sindicato

Cidade Verde - 25/03/2020
por Valmir Macêdo

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

Caminhoneiros que trabalham com transporte de mercadorias nas estradas do Piauí reclamam do fechamento de restaurantes, banheiros e borracharias após o isolamento social pelo Covid-19. O presidente do Sindicato dos Transportes de Cargas e Logística do Piauí (Sindicapi) fez um apelo às autoridades e à população que auxiliem os caminhoneiros nas rodovias piauienses, principalmente nos pontos de entroncamento rodoviário.

Segundo o presidente do Sindicapi, Humberto Lopes, a realidade é nacional e as estradas do Piauí são estratégica para o escoamento de mercadorias para diversos estados do Norte e Nordeste.

"Está faltando a estrutura necessária para o caminhoneiro seguir a viagem dele. Está faltando oficina, borracheiro, restaurante, locais para banho. O transporte de carga não parou, mas estamos sentindo dificuldade", explicou.

Apenas no Piauí, são cerca de 80 empresas que trabalham com transporte de mercadorias sem contar com os milhares de caminhoneiros de empresas de outros estados que transportam produtos com destino ao Piauí e estados de outras regiões.

Segundo o Sindicapi, nenhuma empresa piauiense paralisou as atividades e não há falta de combustível nos postos das estradas. O problema é logístico na área de alimentação, higiene e assistência técnica aos caminhoneiros.

Cidades com entroncamento rodoviário como Picos, Floriano, Piripiri e municípios do extremo Sul abrigam os principais pontos de apoio de caminhoneiros.

Humberto Lopes reforça ainda que as transportadoras estão disponíveis para transporte de produtos necessários para o enfrentamento ao coronavírus, como materiais para confecção de máscaras e outros insumos.

Fale conosco!

Tem alguma pergunta? nos envie uma mensagem.