Tabela do governo não levou em conta diferenças operacionais de cada frete, diz entidade de caminhoneiros

G1 - 22/07/2019

Nesta segunda (22), governo federal suspendeu norma sobre cálculo do piso do frete rodoviário. Norma havia sido publicada pela ANTT na semana passada.

A suspensão da nova tabela de frete rodoviário, anunciada nesta segunda-feira (22), mostra que o governo federal reconheceu não ter levado em conta as diferenças operacionais de cada frete, disse a Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA).

Ao anunciar a suspensão, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, disse que será aberta nova rodada de negociação com os caminhoneiros. Uma reunião está prevista para a próxima quarta (24). A nova tabela para cálculo do frete mínimo foi criada em conjunto com o Grupo de Pesquisa e Extensão em Logística Agroindustrial, ligado à USP, e gerou críticas de caminhoneiros.

Em nota, a CNTA diz ter identificado "pontos que causam estranheza, como por exemplo, o fato de equipamentos e condições operacionais diferentes --como granel sólido, conteinerizada, granel líquido e neogranel-- apresentarem o mesmo valor para cálculo". A entidade cobrou a necessidade de a Agência Nacional de Transportes Terrestres apresentar os números que fundamentaram os cálculos para compor a tabela nacional.

Um dos líderes do movimento de caminhoneiros, Wanderlei Alvez, conhecido como Dedeco, afirmou que a nova tabela só leva em conta os custos do transporte e que espera um aumento de 35% no valor da remuneração.

"A CNTA destaca que é inevitável conter a insatisfação da categoria, que possuía uma grande expectativa para a divulgação da resolução, que estava sendo elaborada desde o início do ano e que contou com audiências públicas em que houve grande participação e contribuição da categoria para sua construção. A entidade aguarda a reunião com o ministro da Infraestrutura para a próxima quarta-feira e pede a revisão adequada dos valores."

Fale conosco!

Tem alguma pergunta? nos envie uma mensagem.